Fonte: G1

O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (11) que a balança comercial registrou superávit de US$ 1,06 bilhão nas duas primeiras semanas de fevereiro.

Quando as exportações superam as importações, o resultado é de superávit. Quando acontece o contrário, o resultado é de déficit.

De acordo com o governo federal, na parcial de fevereiro, as exportações somaram US$ 4,865 bilhões (queda de 16,2% na comparação com fevereiro de 2018). As importações, ainda segundo o governo, totalizaram US$ 3,795 bilhões (queda de 21% na mesma comparação).

Nas exportações, houve queda nas vendas de produtos manufaturados (-27,5%) e semimanufaturados (-12,1%). Já as exportações de produtos básicos cresceram 0,6%.

Nas importações, recuaram os gastos com combustíveis e lubrificantes (-38%), veículos automóveis e partes (-26,6%), instrumentos médicos de ótica e precisão (-16,3%), equipamentos mecânicos (-6,2%) e equipamentos eletroeletrônicos (-4,9%).

Parcial do ano

De acordo com o governo federal, no acumulado de 2019, até 10 de fevereiro, a balança comercial registrou superávit de US$ 3,262 bilhões.

O saldo positivo, contudo, é 40,1% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado (US$ 5,448 bilhões).

No acumulado deste ano, as exportações somaram US$ 23,444 bilhões, com média diária de US$ 837 milhões (queda de 0,3% sobre o mesmo período do ano passado).

As importações totalizaram US$ 20,182 bilhões no acumulado de 2019, ou US$ 720 milhões por dia útil (aumento de 10,6% em relação ao mesmo período de 2018).

Resultado da balança

No ano passado, a balança comercial registrou superávit de US$ 58,3 bilhões.

Com isso, o saldo positivo, assegurado principalmente pela exportação de produtos básicos, ficou 13% abaixo do de 2017.

A expectativa do mercado financeiro para este ano é de nova queda do saldo comercial. Segundo pesquisa realizada pelo Banco Central na semana passada, a previsão para 2019 é de um saldo positivo de US$ 51 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior.

O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 38 bilhões para este ano, com exportações em US$ 250 bilhões e importações no valor de US$ 212 bilhões.

Para a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), o superávit da balança comercial será menor ainda neste ano: de US$ 32 bilhões.