Depois da exposição dos casos de assédio do diretor Harvey Weinstein, da sua demissão e expulsão da Academia do Oscar, as pessoas se viram encorajadas a denunciar mais e mais outros casos. E isso é incrível!

James Toback, conhecido por seu trabalho em filmes como Bugsy,  é a nova bola da vez e deve pagar pelo que fez em breve. O diretor cinematográfico é acusado de assédio por mais de 300 mulheres, incluindo as atrizes Rachel McAdams, Julianne Moore e Selma Blair.

As primeiras denúncias foram publicadas pelo Los Angeles Times na semana passada e explicava como tudo ocorria: semelhante a Harvey Weinstein, ele anunciava um projeto no cinema, convidava mulheres para reuniões e cometia os casos de assédio sexual com perguntas constrangedoras, atos obscenos e pedidos absurdos.

As atrizes envolvidas revelaram à Vanity Fair que foram assediadas por Toback. Segundo o portal Omelete, Blair afirmou que precisou ficar desnuda em uma reunião e que, ao recusar o sexo com Toback, o diretor se masturbou enquanto a segurava:

“Ele me levou para a cama, se ajoelhou e continuou se pressionando contra a minha perna. Tentei olhar para o outro lado, mas ele segurou o meu rosto, então fui forçada a olhar em seus olhos. Senti nojo e vergonha”

Já McAdams disse que o diretor falou coisas constrangedoras:

“Acabei de me masturbar no banheiro pensando em você”

“Você pode me mostrar seus pelos pubianos?”

Toback se fez de desentendido e disse não se lembrar dos casos das atrizes, que não seria capaz de cometê-los. Mas em resposta às demais, por telefone, em entrevista a Rolling Stones afirmou:

“Para qualquer pessoa que diga isso sobre mim, eu só quero cuspir na cara dela. Ninguém que já trabalhou comigo ou me conhece diria algo assim de mim. Ninguém. Todas essas acusadoras são chupadoras de p*u mentirosas ou vadias mentirosas. Isso tudo é estúpido demais para que eu perca meu tempo respondendo. Não tem nada a ver com a minha vida de verdade”