Fonte: R7 Notícias 

O presidente do PDT, Carlos Lupi, afirmou nesta quinta-feira (18) que o partido prepara uma ação para pedir à Justiça Eleitoral a anulação das eleições deste ano após as denúncias de práticas ilícitas no uso de redes sociais por parte da campanha do candidato do PSL, Jair Bolsonaro. O mesmo fato motivou uma nota na qual o PT cobra um posicionamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o caso.

“É uma ação coordenada para influir no processo eleitoral, que não pode ser ignorada pela Justiça Eleitoral nem ficar impune”, diz a nota assinada pela Executiva do PT.

Adversário de Bolsonaro no segundo turno da disputa pelo Planalto, Fernando Haddad, acusou o adversário de criar uma “organização criminosa com empresários que, mediante caixa dois, dinheiro sujo, estão patrocinando mensagens mentirosas no WhatsApp”.

O PDT, que teve o candidato Ciro Gomes em terceiro lugar no primeiro turno da disputa pelo Palácio do Planalto, ainda estuda a forma e o conteúdo da peça a ser apresentada ao TSE. “Estamos preparando uma ação. Ainda não está pronta, o jurídico está examinando o termo exato e por isso ainda não soltei”, disse Lupi.

O caso

Uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo divulgada nesta quinta-feira apontou práticas ilícitas no uso de redes sociais por parte da campanha de Bolsonaro.

De acordo com a publicação, empresários têm bancado a compra de distribuição de mensagens contra o PT e a favor de Bolsonaro por WhatsApp, em uma prática que se chama pacote de disparos em massa de mensagens, e estariam preparando uma operação para a próxima semana, antes do segundo turno.

A campanha de Bolsonaro não se manifestou de imediato sobre as denúncias, mas um dos filhos do presidenciável disse em mensagem no Twitter que o jornal e o PT contam meias-verdades ou mentiras descontextualizadas. “Vão perder a boquinha que o partido mais corrupto do Brasil bancou ao longo de seu tempo no poder!”, escreveu o vereador Carlos Bolsonaro.