Fonte: Agora RN

O turismo é responsável por uma das maiores receitas do Rio Grande do Norte. O setor gera mais de 100 mil empregos em hotelarias, agência de viagens, restaurantes, entre outros setores da cadeia produtiva. Com a chegada de novos empreendimentos internacionais na capital e em outras cidades do Estado, o turismo potiguar tem um panorama positivo para o futuro.

Segundo a jornalista especializada em Turismo Cristina Lira, o Estado está caminhando para voltar ao cenário internacional. “Há uns 8 anos tivemos um crescimento considerável no turismo internacional por aqui. Atualmente, parece que estamos caminhando para isso outra vez. O grupo português Vila Galé chegou recentemente ao município de Touros e logo teremos um grupo polonês construindo um resort em Baía Formosa. Isso é muito bom para o RN. Tendo bons equipamentos hoteleiros e surgem novos interesses para o Estado”, ela diz.

Apesar de ainda ser majoritariamente voltado para as praias, outras esferas vêm ganhando destaque, como o turismo de eventos. Equipamentos como o Centro de Convenções de Natal abrem possibilidades para novos mercados. “Natal é a cidade do sol, temos um litoral lindo. Mas o mercado de eventos vem crescendo bastante. Uma pessoa quando vem para um evento acaba passando 2 ou três dias, traz acompanhantes. Então isso impulsiona também o turismo de aventura e o turismo de lazer, por exemplo”

Uma pesquisa recente constatou que apesar de 96% dos turistas entrevistados aprovarem o RN como um bom destino, metade dos entrevistados citaram a segurança pública como um aspecto negativo do estado. Os dados foram colhidos pela Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio/RN) em janeiro de 2018, época da alta estação.

Para Cristina Lira, essa deve ser uma das prioridades do próximo governante. “O turismo é a bola da vez. O estado já tem ótimos hotéis, ótimos restaurantes. Quando as pessoas viajam, elas procuram por atrativos, mas também pensam em estar seguras. Para que o setor seja impulsionado, é necessário investir em infraestrutura, boas estradas e segurança”, ela conclui.